Jean Vanier: D. José Cordeiro lembra o “testemunho de autenticidade do Evangelho vivido”, quando falava nas II Jornadas da Pastoral a Pessoas com Deficiência, em Bragança.

«Conheci Jean Vanier no Congresso Eucarístico Internacional em junho de 2000 na Basílica de S. João de Latrão em Roma. Marcou-me o seu testemunho de autenticidade do Evangelho vivido.

Como testemunha Vanier, o mistério da pessoa é o encontro, tratando-se “de passar da generosidade ao encontro. Atrever-me-ia mesmo a falar do sacramento do encontro, um momento de graça[1].

Igualmente eloquentes são as suas afirmações: “nascemos frágeis e morremos frágeis” – “tirania da normalidade” – “tirania da cultura” – “Viver uma experiência” (J. Vanier).

+ José Manuel Cordeiro

[1] J. VANIER-F.-X. MAIGRE, Ouve-se um grito. O mistério da pessoa è o encontro, Lisboa 2018, 114.